Botox em creme? será?

             Imagine se alguém falasse para você que esta passando Botox em creme, você com certeza iria falar que isso não existe e deve ser outro tipo de creme, NE? Pois se enganou já esta no mercado a nova promessa da dermatologia estética o “Botox” em creme
            A toxina botulínica (botox) em creme parece ser a solução para quem quer manter a pele jovem, mas tem pavor de agulhas.
            A novidade vem da Revance Therapeutics, batizado como Revance, está em fase final de aprovação pela Food and Drugs Admnistration (FDA).
            O tratamento paralisa a musculatura superficial da pele, como pés de galinha e linhas ao redor dos lábios e as do pescoço, e depois de seis horas já é possível começar a perceber os efeitos. Segundo a fabricante, o produto – que também poderá ser utilizado para controlar o suor em axilas, mãos e pés – penetra facilmente, facilitando sua aplicação.
            O grande trunfo do produto é a capacidade de as partículas da toxina tópica atravessarem a epiderme e a derme para chegar ao músculo. No músculo, funciona como a toxina injetável.
            Outra opção que chega ao Brasil em forma de cosméticos para substituir as injeções de botox® é o Deepaline PVB, conhecido também como toxina botulínica-like. O produto promete desempenhar dupla função no tratamento das rugas. Além de amenizar as marcas, eles também agem na prevenção. O Deepaline PVB virá para sustentar os dermocosméticos, e terá os mais variados nomes.
            O ativo é indicado para mulheres e homens para prevenção da flacidez facial ou para preencher e reduzir as rugas e linhas de expressão já existentes.
            Ele também será manipulado mediante fórmula personalizada, prescrita por dermatologista.
          Outra opção muito boa é a manipulação de  Argireline .  A Ação Biológica do creme realmente é parecida com a ação da Toxina Botulínica , mas em intensidade muito menor. O creme , assim como o BOTOX  age na liberação da acetilcolina , as vesículas que fazem parte do nervo e que promovem a contração muscular . O bloqueio da contração , provoca o alisamento da pele a partir da ação menor do músculo.

            Como infelizmente ainda nenhum dois 2 aterrissou no Brasil, eu aconselho a procurar seu dermatologista para manipular a composição com Argireline.

Verrugas, quem te quer?

               As verrugas virais são lesões causadas pelo papilomavírus humano (HPV). São auto-inoculáveis, isto quer dizer, podem se disseminar pela pele através do contato das lesões com áreas não atingidas, e transmitidas pelo contato direto com pessoas contaminadas.  A denominação das verrugas está relacionada ao lugar onde elas se desenvolvem ou ao seu aspecto. Assim temos:

  • Verruga plantar nas solas: localizadas nas plantas dos pés, estas lesões crescem para dentro da pele, devido ao peso do corpo impedir o seu crescimento para fora. São, muitas vezes, confundidas com calosidades, porém, quando raspadas, as lesões mostram uma superfície irregular e pontos escuros no seu interior, o que as diferencia dos calos. As maiores costumam ser dolorosas ao pisar. 

  • Palmar nas palmas: localizadas nas palma da mão, estas lesões crescem para dentro da pele como a verruga plantar, geralmente aparece devido a trauma repetitivo nas mãos. São, muitas vezes, confundidas com calosidades, porém, quando raspadas, as lesões mostram uma superfície irregular e pontos escuros no seu interior, o que as diferencia dos calos igual a verruga plantar também. As maiores costumam ser dolorosas.

  • Anogenital ou condiloma acuminado cerca do períneo: este tipo de verruga é encontrado na região genital ou perianal. As lesões são mais macias e, quando localizadas nas mucosas, podem ser úmidas. A coloração varia de esbranquiçada a escura e o tamanho de pequeninos pontos a grandes lesões vegetantes (aspecto de couve-flor). Mais comum em adultos, pode ser adquirida por transmissão sexual. O achado de verrugas genitais em crianças deve levantar a suspeita de abuso sexual.

  • Periungueal ao redor das unhas: são as verrugas vulgares que localizam-se ao redor das unhas. Devido ao fato de se estenderem para dentro da prega ungueal, este tipo de verruga pode ser de tratamento mais difícil.

  • Subungueal sob as unhas: são as verrugas vulgares que localizam-se ao redor das unhas. Devido ao fato de se estenderem para dentro da prega ungueal, este tipo de verruga pode ser de tratamento mais difícil.

  • Vulgares: as de aspecto mais característico (couve-flor): localizadas na superfície normal da pele, as lesões são elevadas, endurecidas, de superfície áspera e coloração esbranquiçada. Algumas apresentam pontilhado escuro. Isoladas ou coalescentes, podem variar de milímetros a centímetros de diâmetro. As áreas mais atingidas são as extremidades dos membros, sendo muito frequentes nas mãos, cotovelos e joelhos. Mais facilmente encontradas nas crianças e adolescentes.

  • Plana: as lesões são pequenas, de superfície plana e em grande número. As regiões mais atingidas são a face e os membros. Mais frequentes em adolescentes.

  • Filiforme: mais frequente na face e no pescoço, este tipo de verruga forma lesão digitiforme (semelhantes a um dedo) que se projeta da superfície da pele. É mais facilmente encontrada nas pessoas idosas.

            As verrugas são de causa infecciosa, transmitindo-se por contato com o vírus causador, contato este que pode variar desde um apertar as mãos até uma relação sexual ou a coçadura de uma lesão, também é possível a transmissão através de objetos.
            Mínimas lesões da pele permitem o vírus penetrar nas células, obrigando-as a produzir uma proteína que interfere nas funções reguladoras da reprodução celular, com isto a reprodução celular se dá de forma anormalmente acelerada. A supressão desta regulação é temporária o que explica a permanência autolimitada das verrugas e seu desaparecimento após certo tempo, por isso é comum escutar que alguém curou porque fez certa simpatia, ou passou algumas coisa.
            As verrugas são nódulos endurecidos, benignos, que de forma geral não causam sintomas. Em determinadas situações pode haver dor ou sangramento.
            Em princípio o exame clínico é suficiente levando-se em conta os aspecto e a localização da lesão.
            Previne-se evitando o contato com o vírus. A prevenção é de difícil execução, sendo raro o adulto que já não tenha apresentado algum tipo de verruga.
            O tratamento das verrugas consiste na sua destruição, que pode ser feita através de procedimentos cirúrgicos, eletrocoagulação e curetagem, pela cauterização química das lesões, uso de substâncias cáusticas sobre as lesões, pela criocirurgia, destruição das lesões por congelamento com nitrogênio líquido, ou pelo uso local de substâncias conhecidas como imunomoduladores, utilizadas para o tratamento de verrugas resistentes aos tratamentos convencionais.