Em cada 10 pacientes em meu consultório, 3 são por causa de
micose em unha, e a queixa é igual, não sei mais o que eu faço, venho tratando
faz anos e não melhora, minha unha melhora e volta, e assim por adiante.
Hoje vamos falar um pouquinho da afecção que tanto incomoda.
A onicomicose é uma infecção que atinge as
unhas, causada por fungos.  As fontes de infecção podem ser o solo,
animais, outras pessoas ou alicates e tesouras contaminados. As unhas mais
comumente afetadas em homens são as dos pés, pois o ambiente úmido, escuro e
aquecido, encontrado dentro dos sapatos e tênis, favorece o seu crescimento,
das mulheres são as das mãos, principalmente se esta trabalhar com água. Além
disso, a queratina, substância que forma as unhas, é o “alimento” dos
fungos.
Existem
quatro tipos clássicos de onicomicose:
Onicomicose
Subungueal Distal/Lateral

– A mais freqüente; 
– Mais comum em unhas dos pés;
– Descolamento da borda livre da unha: a unha descola do seu
leito, geralmente iniciando pelos cantos e fica oca.Pode haver acúmulo de
material sob a unha.
– Espessamento: as unhas aumentam de espessura, ficando
endurecidas e grossas. Esta forma pode ser acompanhada de dor e levar ao
aspecto de “unha em telha” ou “unha de gavião”.
– Características: unha opaca, esbranquiçada, espessa.

           Onicomicose Subungueal Proximal
– Esta forma é mais rara: geralmente em imunosupresivos;
– Inicia-se pela extremidade proximal: observam-se manchas
brancas ou amareladas ao nível da lúnula comprometendo toda a unha.
– Adquire depois características da forma Subungueal distal.

           Onicomicose Superficial Branca
– Mais comum nas unhas dos pés;
– Manchas brancas na superfície da unha
– Com a evolução as manchas ficam amareladas e pode destruir
toda a unha;

        
   Onicomicose
Distrófica Total
– Pode ser a forma evolutiva de todas as formas
anteriores;
– Destruição e deformidades: a unha fica frágil, quebradiça e
quebra-se nas porções anteriores ficando deformada ou restando alguns restos de
queratina aderida ao leito ungueal. 

Onicomicose por Cândida: 
Espécies de Cândida invadem as
unhas geralmente ocorrem em pessoas que freqüentemente mergulhar as mãos na
água. Isso normalmente requer o dano antes da unha por infecção ou trauma.

Hábitos higiênicos são importantes para se evitar as micoses. 
Previna-se seguindo as dicas abaixo:  
·        
Não ande descalço em pisos
constantemente úmidos (lava pés, vestiários, saunas).
·        
Observe a pele e o pêlo de seus
animais de estimação (cães e gatos).  Qualquer alteração como descamação
ou falhas no pêlo procure o veterinário.
·        
Evite mexer com a terra sem usar
luvas.
·        
Use somente o seu material de
manicure.
·        
Evite usar calçados fechados o
máximo possível.  Opte pelos mais largos e ventilados.
·        
Evite meias de tecido sintético,
prefira as de algodão.
·        
Evite ficar com as mãos muito em
contato com água, e cuidado com as luvas, pois além de depositar um pouco de água
em seus dedos, ela deixa o ambiente quente e úmido
O tratamento da onicomicose é um desafio porque a
infecção está incorporada dentro da unha, e é difícil de alcançar. Como o
resultado da remoção completa dos sintomas e dos fungos é muito lento e pode
demorar um ano ou mais, dependendo do caso, então geralmente tratamento feito
com menos de um ano pode se ineficaz.
A maioria dos tratamentos é através de medicações
sistêmica antifúngicos, ou tópica, tais como esmaltes de unhas
Também
há evidência para combinar os tratamentos sistêmicos e tópicos.
Para
onicomicose superficial branca em vez de terapêutica antifúngica tópica é
aconselhado à sistêmica. Nas outras onicomicoses geralmente aconselha-se começar
com o esmalte ao invés da sistêmica, em todo caso o dermatologista deve ser
procurado para melhor tratamento