Hoje estava em uma farmácia com umas amigas minhas também dermatologistas, e elas viram esse esmalte, o Esmalte Dermanail, e ficaram loucas por que quase não achava para comprar.


     Elas me garantiram que ele é maravilhoso para fortalecer as unhas, e tem de varias cores, eu como não podia acreditar, comprei um para provar, então aí vai uma dica para esmalte fortalecedor.
      Eu conheço e recomendo a base fortalecedora de unhas com fibras da AVON, uso e vejo resultado, quando minha unha dá sinal de fraca e quebradiça por causa dos esmaltes, eu sempre recorro a ela.
       Acho que agora alem de base fortalecedora, vou começar a usar esse esmalte também, tem um vermelho e um rosa que é um espetaculo, valeu meninas pela dica.

      Queda de cabelo, calvície ou alopecia é um problema comum em homens e mulheres, mas devido a diferentes razões.

      O ciclo do cabelo é composto pelo crescimento, repouso e queda. Uma queda dita normal pode ir até à
volta dos 100 cabelos por dia e quando ultrapassa este valor e começamos a verificar uma perda
acentuada dos cabelos, devemos consultar um dermatologista. Aqui começa a primeira batalha contra este
problema.Os cabelos são pelos que nascem na cabeça do ser humano, e são formados pela raiz em forma de
 bolbo e a haste composta por três camadas concêntricas. Uma cabeleira normal tem cerca de 120000
cabelos e cresce cerca de 1cm por mês. A cor é determinada pela melanina e difere com a idade e de
pessoa para pessoa, o embranquecimento deve-se à redução progressiva dos melanócitos. Os cabelos podem ainda ser rijos, frisados ou finos.A identificação da causa para queda de cabelo é essencial para um
tratamento eficaz.
       Algumas medidas devem ser tomadas para melhorar a resposta, porém o tratamento deve ser prescrito e orientado pelo médico, em especial o dermatologista.

Queda de cabelo de causa mecânica

      Quando a queda de cabelo é devido a fatores físicos sobre o couro cabeludo, o tratamento é  procurar afastar as causas. Em casos antigos, nos quais a ação traumatizante se fez por longo tempo, a alopécia pode tornar-se irreversível. Exemplos:
    * Recém-nascidos: perda de cabelo, principalmente na região occipital, provavelmente devido à criança permanecer deitada por longo tempo. É transitória, não necessitando de tratamento.
    * Certos penteados que provocam maior tração dos cabelos, comprometendo as regiões fronto-temporais e periferia do couro cabeludo.
    * Também pode ser causada pelo uso de chapéus, quepes ou outros agentes compressivos.
    * Pode ainda ocorrer em doentes que permanecem deitados por longo tempo.
    * Tricotilomania: em pessoas que adquirem o hábito de arrancar os próprios cabelos e pêlos, surgem áreas de alopécia, nas quais os cabelos apresentam-se de diferentes comprimentos.
      O tratamento consiste em investigar e tratar a causa, em geral psicológica. O acompanhamento
no psiquiatra é necessário.

Queda de cabelo devido a doenças infecciosa

      Doenças infecciosas com febre alta durando de 3 a 5 dias podem causar queda de cabelo difusa,
que se surgem entre 75 e 90 dias após o episódio febril. Nestes casos, os cabelos nascem novamente,
sem tratamento.

Queda de cabelo de causas sistêmicas

      Pode ocorrer alopécia difusa em várias doenças que acometem o organismo como um todo:
    * Lúpus eritematoso sistêmico,
    * Dermatomiosite,
    * Anemia ferropriva,
    * Doenças carenciais e debilitantes,
    * Diabetes,
    * Hipertiroidismo,
    * Hipotiroidismo,
    * Doença de Addison.
      O tratamento é o da doença sistêmica, ou seja, geralmente combatendo a causa, os cabelos crescem
novamente.
      Em mulheres, após o parto, é comum a observação de alopécia difusa do couro cabeludo. Geralmente
é pouco intensa, dura alguns meses e regride. A regressão do quadro pode ser favorecida com o uso de rubefaciente, a administração de complexos vitamínicos e apoio psicológico.

Alopécia androgenética

      Este tipo de queda de cabelo apresenta diminuição de cabelos nas regiões fronto-parietais, de modo difuso, persistindo cabelos mais curtos e afilados; a pele perde parte da elasticidade, podendo ser acompanhada de seborréia.
      Em geral a queda está associada a perturbações hormonais, com aumento da progesterona, menopausa,
 ou pelo uso de injeções de andrógenos com fim de tratamento de outro distúrbio. O diagnóstico é realizado pelo médico, que geralmente solicita exames de dosagens hormonais.

 padrão feminino

      No homem a alopécia androgênica ou calvície masculina é uma manifestação fisiológica que ocorre em indivíduos geneticamente predispostos levando à “queda dos cabelos”, que sofrem um processo de miniaturização. A herança genética pode vir do lado paterno ou materno. A alopécia androgênica é resultado da estimulação dos folículos pilosos por hormônios masculinos que começam a ser produzidos na adolescência (testosterona). 
padrão masculino

      Tratamento deste tipo de queda de cabelo depende do resultado das dosagens hormonais, podendo ter
indicação o uso de preparados antiandrogênicos, associados a estrógenos, a fim de combater a
desregulação hormonal.
     Hoje em dia são várias as opções para tratamento ou redução da queda de cabelo, e podem ser tantas e
tão variadas, como produtos cosméticos de venda ao publico, tratamentos com medicação via oral ou
localmente receitadas pelos médicos ou tratamentos cirúrgicos tais como o transplante capilar,
mas para estas deverá sempre consultar o seu dermatologista.
      Ainda não existe uma forma eficaz que garanta 100% de sucesso na cura da calvíce, no entanto existem
diversas medidas que podem ser tomadas para controlá-la.
      Quanto mais cedo se detectar o problema, melhores serão os resultados. Os objetivos do tratamento da
alopécia androgenética são:
  • Retardar a rarefação, evitando o excesso de queda;
  • Aumentar o volume de cabelos no couro cabeludo;
  • Engrossar os fios de cabelo já existentes.
Cuidados a ter com o seu cabelo
  • A escolha da escova com que penteia os seus cabelos é muito importante; esta deve ser macia de maneira a não provocar nenhum tipo de agressão ao couro cabeludo e cabelos.
  • Quanto aos trabalhos técnicos (permanente, coloração, desfrizagem) devem ser feitos em bons salões de cabeleireiro e tratados com gamas de produtos específicos os quais também podem ser encontrados nas farmácias ou parafarmácias.
  • Deve sempre utilizar produtos específicos para o seu tipo de cabelo e não dispense três produtos essenciais: champô, tónico para o couro cabeludo e creme de nutrição ou de equilíbrio.
  • Outro cuidado fundamental é libertar o mais possível o couro cabeludo das suas descamações (em especial a caspa, quer esta exista num cabelo seco ou num oleoso; os tratamentos serão de acordo com cada situação).
  • O uso de secador deve ser moderado e não deve ser utilizado muito rente às raízes nem mais do que duas vezes por semana, nem a uma temperatura demasiado quente.
  • Uma alimentação rica em oligoelementos ( ferro, zinco, cálcio, magnésio, etc.) é essencial, bem como deve ingerir proteínas animais.

      Lesão causada pelo ação acumulativa da radiação solar sobre áreas de pele expostas ao sol de forma prolongada e repetida ao longo da vida, provocando alterações nos melanócitos (células da pele responsáveis pela pigmentação).

      A leucodermia gutata caracteriza-se por manchas brancas, pequenas, de 1 a 5 mm de tamanho, arredondadas ou poligonais, que atingem os braços e as pernas nas áreas de exposição ao sol.

Tratamento

      Consiste no uso de fotoprotetores sempre que se expor a pele ao sol, de modo a evitar mais dano solar à pele e o surgimento de novas lesões.

      Todo e qualquer método agressivo que destrua ainda mais essas células (crioterapia, dermabrasões, lasers, etc.) só tendem a agravar o quadro clínico e são, portanto, desaconselháveis. Actualmente não existe qualquer tratamento válido para essa situação.

      Elas são popularmente  chamadas assim porque costumam aparecer em pessoas com idade mais avançada. Na verdade, estas manchas não são provocadas pela idade e  sim pelo dano causado pelo sol ao longo dos anos. Como o resultado da ação do sol  só vai aparecer com o passar do tempo, as melanoses solares são mais comuns em pessoas  de idade.
      As melanoses solares são manchas escuras, de coloração castanho a marrom, geralmente pequeninas mas que podem chegar a alguns centímetros de tamanho. Elas surgem apenas  nas áreas que ficam muito expostas ao sol, como a face, o dorso das mãos e dos braços, o colo e os ombros. São mais frequentes em pessoas de pele clara. O dano solar acumulado  ao longo dos anos induz ao aumento do número de melanócitos (célula que produz o pigmento  que dá cor à pele) e da sua atividade, produzindo mais melanina e escurecendo a pele.





Prevenção e tratamento

      O ideal é a prevenção do surgimento das manchas, que deve ser feita através do uso de proteção solar nas áreas continuamente expostas ao sol, onde as manchas se manifestam. Não é apenas o  sol da praia ou piscina, mas também o sol do dia a dia, que paulatinamente vai danificando as  células que, no futuro, vão sofrer alterações e dar origem às manchas.
      O tratamento pode ser feito de várias maneiras, como a cauterização química, a criocirurgia, a  dermoabrasão, os peelings químicos. Os resultados costumam ser  bons, desde que a técnica seja empregada de forma adequada. O exagero na aplicação pode deixar  manchas claras ou até mesmo cicatrizes residuais.

Celulite

      A palavra celulite significa infecção primaria da pele que causa uma placa discretamente endurecida, eritematosa e quente, mais usamos esse mesmo nome errôniamente para definir PEFE.

      A PEFE é uma microangiopatia do tecido conjuntivo subcutâneo , de caráter evolutivo e agravamento, que invade o tecido gorduroso.
      A primeira fase é uma fase edematosa , que continua com uma fase fibrosa , seguida de uma fase fibro esclerótica e finalizada com uma fase esclerótica. , quando se instala micro e macronódulos.
      Bem então  todas nós sempre queremos um tratamento milagroso para dar fim a esses furinhos que tanto nos incomoda, o primeiro que devemos saber que só creme anti-celulite não adianta muito, elas são bons para o começo e a manutenção do resultado, já que a “celulite” não tem cura, mais ela desaparece com alguns tratamentos combinados, e creme de manutenção.
      Então vamos algumas dicas de creme que pode ser usado em casa para melhorar o aspectos de sua pele. 
 1. Lipo-Metric VICHY 
 2.My Silhouette! Gel Creme Redutor e Remodelador, Redutor de Medidas NIVEA

 3. Loreal Perfect Slim Pro





 5. Creme Bye – Bye Celulite NIVEA Body
                                       Para mim essa é a ordem de resultado:
       O campeão é o da VICHY é caro, mais compensa, se você tiver disposição de massagear bem, melhora muito o resultado.
       O pior é o creme Bye-Bye da NIVEA, mas não pelo resultado que também é bom e sim por sua textura que é grudenta, no verão nem pensar, você fica pegajosa.
       O da RoC é em espuma, mas acho que desperdiça muito produto.
      O da LOREAL, é interessante por que o frasco já vem com um massageador, ficando assim mais fácil a aplicação e quando acabar o creme você compra só o refil, que é muito mais barato que o primeiro.
      O My Silhouette é perfeito, o resultado você vê em 3 semanas, na redução de medida e por isso a celulite melhora, e o preço é bem convidativo, para quem não puder comprar o da VICHY que eu recomendo.
      Agora não tem mais desculpa de não usar creme para celulite, vimos aqui que eles adiantam um pouco, claro que sozinho não faz milagre mas melhora bem a pele, o que esta esperando escolha um e começe amanhã a cuidar do seu corpo que ainda dá tempo para o verão.