Rotina na terceira idade

        
           Aqui vai um mini guia do que as pessoas da terceira idade tem que fazer de rotina quando vai ao médico.
          O Ministério da Saúde recomenda que os idosos façam  visitas pelo menos uma vez por ano ao médico e realize exames e utilizem vacinas como forma preventiva de identificar e combater as doenças em sua fase inicial facilitando o tratamento e a proteção da saúde.

Vacinas:

  • Tétano –  a cada 10 anos.
  • Gripe –  anualmente. 
  • Pneumonia –  a cada 05 anos.


Exames:

  • Aferir a pressão arterial – anualmente. se não tiver problema de pressão alta, se tiver, aferir cada mês.
  • Coleterol Sangüíneo – anualmente.
  • Glicemia – anualmente, se não for diabético, se for, aferir a cada 3 meses no máximo
  • Pressão ocular – anualmente.
  • Urina – anualmente.
  • Ginecológico (feminino) – anualmente.
  • Próstata (masculino) – anualmente.

A grande maioria dos remédios são produzidos baseados em estudos realizados em pessoas jovens. Na terceira idade o comportamento das substâncias químicas são diferentes daquelas que ocorrem nos jovens e muitas vezes produzem efeitos indesejáveis. Tanto a absorção e o metabolismo quanto a distribuição de medicamentos difere quando se compara o organismo de um jovem com o de um idoso.
O idoso então está mais sujeito a efeitos colaterais dos remédios e freqüentemente apresentam novos sintomas decorrentes da medicação o que pode confundir o quadro clínico. Há uma tendência ao acúmulo das substâncias no organismo. Por outro lado a existência de determinados distúrbios, como a insuficiência renal por ex, pode acentuar esta tendência.
Muitas vezes a pessoa procura o médico com sintomas aparentemente decorrente de uma doença e nada mais é do que um sintoma decorrente de medicação utilizada de maneira incorreta.
Nessa idade há o consumo constante e indiscriminado de medicamentos liberados – e de fácil acesso nas farmácias – como laxantes, antiácidos, analgésicos, vitaminas, antigripais, e isto normalmente ocorre sem conhecimento do profissional de saúde.
Há uma tendência muito grande para a automedicação nesta faixa de idade e também para o uso continuado e sem critério. A comum utilização de medicamentos caseiros (não prescritos por médico), ou medicamentos liberados – e de fácil acesso nas farmácias – como laxantes, antiácidos, analgésicos, vitaminas, antigripais, e isto normalmente ocorre sem conhecimento do profissional de saúde e, podem levar as conseqüências indesejáveis quando associados a outros medicamentos, e isto pode ocorrer sem conhecimento do médico.
Deve se evitar tomar medicamentos prescritos para outras pessoas acreditando que seus resultados são idênticos para todos. Nunca deve se tomar medicamento com data vencida. Qualquer sintoma diferente deve ser sempre comunicado ao médico.
Na 3ª idade as intoxicações mais freqüentes ocorrem com medicamentos, destacando-se os psicotrópicos. Podem ocorrer também devido ao uso abusivo e sem controle médico de vasodilatadores cerebrais que podem levar a quadros clínicos confusos.
Alguns cuidados devem ser sempre tomados quando se utilizar qualquer medicamento na terceira idade:
1- Evitar uso de medicação não necessária, procurando usar, sempre que possível forma de tratamento que não utilizem medicamentos, como fisioterapia, por ex..
2- Sempre definir o tempo de tratamento junto ao médico. Nunca tomar medicação por longo prazo sem conhecimento do médico.
2- Informar sempre ao médico todos os medicamentos que estão sendo utilizados e procurar saber eventuais reações entre os mesmos.
3- Evitar sempre que possível a utilização prolongada de medicamentos sintomáticos, como por ex, laxantes, tranqüilizantes, soníferos, vasoconstritores nasais, vasodilatadores, etc.

Vacina contra Gripe – INFLUENZA

A gripe pelo vírus da Influenza é muito perigoso em pessoas com mais de 60 anos

Quais os benefícios da vacina?


Proteção contra a Influenza ou gripe, doença caracterizada por febre alta, calafrios, dor-de-cabeça, mal-estar, tosse seca e dor muscular, e que pode gerar complicações como infecções respiratórias agudas e até levar a morte.
Estudos recentes indicam que a vacina também protege contra infarto e derrame. A vacina contra gripe não protege contra resfriados comuns, que são causados por outros tipos de vírus e normalmente se caracterizam por sintomas mais leves, sem febre.

Quando é preciso tomar?

Uma vez por ano, no outono (abril/maio), quando acontece a campanha nacional de vacinação do idoso.

Vacina contra Pneumonia 

A pneumonia é muito perigoso em pessoas com mais de 60 anos que vivem em instituições fechadas como asilos, hospitais e casas de repouso

Quais os benefícios da vacina?


Proteção contra a pneumonia causada pelo pneumococo. A pneumonia é uma infecção respiratória grave, que se caracteriza por febre, tosse com catarro, e, em muitos casos, precisa de internação, podendo levar a pessoa à morte, se não tratada adequadamente.
Quando é preciso tomar?

Durante as campanhas de vacinação destinadas aos idosos, em abril/maio. Lembrar que é preciso uma única dose de reforço cinco anos após a primeira dose. É dificil ter a campanha, mas essa vacina pode ser encontrada em consultório médico

Vacina contra Tétano e Difteria


Importante em qualquer época da vida

Quais os benefícios da vacina?

Proteção contra a difteria e o tétano.
A difteria é causada por um bacilo, produtor de uma toxina (substância tóxica), que atinge as amígdalas, a faringe, o nariz e a pele, onde provoca placas branco-acinzentadas. É transmitida, por
meio de tosse ou espirro, de uma pessoa contaminada para outra. O tétano é uma infecção, causada por uma toxina (substância tóxica) produzida pelo bacilo tetânico, que entra no organismo por meio de
ferimentos ou lesões na pele (tétano acidental) ou pelo coto do cordão umbilical (tétano neonatal ou mal dos sete dias) e atinge o sistema nervoso central. Caracteriza-se por contrações e espasmos, dificuldade em engolir e rigidez no pescoço.
Quando é preciso tomar?
Não existe um calendário fixo, adultos que nunca tomaram a vacina podem tomar em qualquer idade e devem tomar o quanto antes e seguir o cronograma de 3 doses intercaladas. É necessário tomar uma nova dose de reforço a cada dez anos.
Quem tomou a última dose há mais de dez anos deve tomar uma dose de
reforço e a cada dez anos.

Dados da Cartilha de vacinas: para quem quer mesmo saber das coisas