Urticária crônica

             A urticária é caracterizada por lesões hiperemiadas – vermelhas,   de tamanhos e formas variadas e de curta
duração, menos de 24 hora. Normalmente, são acompanhadas de intensa coceira
pelo corpo, às vezes, por sensação de queimação. As lesões podem estar associados a angioedema ou edema súbito de lábios, pálpebras, mãos, pés e/ou região genital




 

            A urticária crônica é quando o
quadro são recorrentes e duram seis ou mais semanas.
            Pessoas com UC costumam apresentar
um desconforto intenso e prejuízo na qualidade de vida. Problemas emocionais, pior qualidade do sono e limitação de atividades sociais são frequentemente relatados.


 

            Infelizmente não há cura para UC e o
objetivo do tratamento é o controle total da doença, com o desaparecimento das
lesões de pele e da coceira no corpo. Geralmente o controle é alcançado com
algumas medicações, e provavelmente o uso continuo dessa é fundamental para o
sucesso do tratamento.
            Na maioria do caso não é possível
descobrir a causa do UC, pois é uma doença complexa e pode ter vários mecanismo
envolvido, sabe-se que provavelmente  anti-infalmatórios não esteroidais, medicamentos que incluem aspirina e o diclofenaco de sódio podem agravar os sintomas da urticária em
boa parte das pessoas.


 

 

            Muitas pessoas com UC  podem ter sintomas após exposição a diversos
agentes, como ar ou água fria, pressão, calor, atrito na pele, exercícios
físicos,estresse, nervoso, ansiedade, etc…. Nesse caso o melhor é evita-los.


 

            Raramente, alimentos e bebidas
causam UC, mas bebidas alcoólicas e alguns alimentos podem aumentar os sintomas
em algumas pessoas.
            Não tome medicamento sem o
conhecimento do seu médico, pois muitos antialérgicos podem causar sonolência e
outros efeitos colaterais.

            Se você sofre com UC, procure um dermatologista ou até um Alergista para saber qual é a melhor forma de melhorar os seus sintomas.

Beijos Flávia.
Categorias:
Tags:

  Mesmo nessa época do inverno alguns pacientes vem ao meu consultório com sintomas bem característico dessa afecção de pele. Afinal o que seria uma Erupção polimorfo à luz.
          É uma erupção da pele induzida pela luz solar. A maioria das pessoas apresenta exacerbações em cada verão, como estamos em um país tropical isso pode acontecer em qualquer época do ano, pois a quantidade necessária de exposição à luz para desencadear uma erupção varia muito de um paciente para outro, e a doença pode começar em qualquer idade.



          Existem muitas manifestações clinicas para essa afecção,mas seus principais sintomas são: formação de bolhas, pequenas lesões avermelhadas e ressecamento da pele.

 






          Para isso não acontecer devemos evitar a exposição solar e utilizar corretamente protetor solar tópico de amplo espectro, que protege dos raios UVA e UVB, e fotoprotetor oral para prevenir os efeitos da radiação.








         

Categorias:
Tags:

Urticária solar

Volta e meia em meu consultório aparece alguns pacientes que queixam que ficam todo empolados quando ficam expostos ao sol. E sempre é a mesma expressão de espanto quando digo que pode ser uma urticária solar. Mas afinal de contas o que é uma urticária solar?

          É uma condição rara, em que a exposição à radiação UV induz a formação de urticas ( é quando a pele empola) que podem aparecer tanto nas áreas não expostas quanto as áreas expostas ao sol.



         A causa não está claramente definida, acredita-se que uma substância química criado no corpo reage com a radiação UVA e causa uma reação alérgica que se manifesta como urticária.
          A urticária solar se apresenta como uma lesão na pele avermelhada, com inchaço e coceira, que ocorre poucos minutos após a exposição ao sol. Quando grande área do corpo é afetada a perda de líquidos pode levar à dor de cabeça, náuseas e vômitos.

 



          Geralmente o tratamento é a base de antialergicos e proteção da exposição ao sol. Filtro solar com proteção UVA e UVB é de grande ajuda.

 
 

 

Categorias:
Tags:

Prurido senil

O prurido senil parece ser a
dermatose mais prevalente na terceira idade. Geralmente a “coceira” é de
intensidade variável, contínuo ou por surtos. Freqüentemente piora à noite,
após banhos quentes e durante os meses de inverno, quando a umidade é baixa e
as temperaturas dos ambientes fechados são altas, e com isso a ressequidade da
pele piora.

O prurido acomete as faces de
extensão, principalmente pernas e coxas. Inicia-se com xerose (super
ressecamento da pele) e microfissuras (miniferidas), podendo evoluir para
lesões francamente eczematosas, eritêmato-pápulo-descamativas e liquenificadas.

Geralmente é um diagnóstico de
exclusão, ou é totalmente perceptível quando a ressequidade da pele é notável.
Sua melhora além de um antialérgico
potente e às vezes um antidepressivo tricíclico, precisa de uma hidratação
continua na pele.
Cuidados da pele para melhorar
o prurido.
– hidratação com um creme
hidratante potente, já citei vários cremes aqui no blog.
– sabonete hidratante
– banho morno, rápido, evite
muito contato com a água.
– não usar buchas de banho
– beber muito liquido
-usar roupa de algodão, evitar
lã e pelos nas roupas
Com essas medidas provavelmente
a coceira irá amenizar, se por acaso o prurido permaneça procurar um geriatra
ou um dermatologista para uma Maior investigação.

 

Dermografismo

Dermografismo é uma doença da pele que afeta entre  5 a 10% da população  e é uma forma de urticária física que se caracteriza pela coceira intensa, principalmente nos locais de pressão.  Após o ato de coçar surgem lanhos, vergões na pele, que somem rapidamente. É uma forma de urticária, sendo também chamado de urticária factícia ou urticária falsa.A urticária clássica se caracteriza pelo surgimento de placas avermelhadas que se acompanham de coceira na pele, podendo ter causas variadas, como medicamentos, alimentos, certas doenças, entre outras causas . No caso do dermografismo, após pressão sobre um determinado local no corpo, a coceira surge em primeiro lugar e só depois de se coçar é que surgem as placas. Por isso, é comum que se inicie em locais onde a roupa aperta, elásticos, alça do soutien.

            O mecanismo exato de dermografismo site permanece incerto. Os sintomas podem ser induzidos por estresse, roupas abrasivas, relógios, óculos, calor, frio, ou algo que provoca estresse na pele.
Em grande parte das vezes o dermografismo costuma ser brando, passando desapercebido. Entretanto, em alguns casos pode assumir formas mais intensas e bastante incômodas.Para confirmar, basta fazer um pequeno teste: risque a pele utilizando um clips de papel. Nos casos positivos, um vergão surge em minutos no local. Procure um dermatologista para confirmar o diagnóstico e orientar seu tratamento.
O tratamento Para pacientes assintomáticos com dermografismo simples, não é necessário tratamento. É muito importante evitar os fatores desencadeantes físicos, reduzindo o stress 
Para aqueles pacientes que tem tem um quadro mais agudo, ele é feito com medicamentos antihistamínicos (antialérgicos) para controle da coceira, impedindo o aparecimento dos vergões na pele e se necessária utilização de ansiolíticos e antidepressivos.
Diminua o atrito em sua pele: evite roupas justas ao corpo.
Prefira tecidos de algodão e evite os tecidos sintéticos como a lycra.
Tome um banho por dia, evitando banhos demorados e quentes. O calor tende a piorar a coceira e a ressecar a sua pele.
Não use buchas ou esponjas e prefira sabonetes suaves, para pele seca.
Enxugue-se com toalha felpuda e macia, sem esfregá-la com força em seu corpo.
Acostume-se a usar hidratante logo após o banho, ainda com a pele umedecida.
Alimente-se saudavelmente, procurando ingerir bastante água e outros líquidos no decorrer do dia.
Combata o stress: organize seus compromissos a fim de que sobre tempo para o lazer.